Câncer de testículos: prevenção e tratamento

Prevenção

É importante tornar um hábito o autoexame dos testículos como modo de prevenir o câncer, mas esse procedimento não substitui o exame clínico regular.

Tratamento

Além de exames clínicos, é necessária a remoção cirúrgica do testículo (orquiectomia) para análise em laboratório. Caso o câncer seja confirmado, faz-se a retirada do testículo, o que não afeta a função sexual ou reprodutiva do paciente se o outro testículo estiver normal. Isso ocorre porque, com o tempo, o testículo remanescente aumenta a produção de espermatozóides para compensar a falta do outro. Quando o câncer é detectado em estágios mais avançados, pode haver a necessidade de remover os gânglios linfáticos da virilha e do abdômen.


Leia também
Câncer de testículos: o que é e como surge
Saiba quais são as doenças urológicas mais frequentes