Hábitos saudáveis auxiliam na prevenção do câncer

Os Departamentos de Medicina Preventiva da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo e da Universidade de Harvard elaboraram conjuntamente um estudo que indica a importância de uma vida saudável na prevenção de diversos tipos de cânceres.

Sedentarismo, tabagismo, excesso de bebida alcoólica e alimentação precária são alguns fatores de risco. Por outro lado, praticar atividades físicas, manter uma dieta equilibrada, dentre outros hábitos saudáveis demonstram que o protagonismo individual é fator decisivo na saúde.

A pesquisa reforça orientações habituais já repassadas aos pacientes nos consultórios médicos. O trabalho destaca-se pela extensa base de dados utilizada e as projeções feitas a partir desses números.

Marcos Flávio Rocha participará de documentário sobre procedimentos minimamente invasivos

2019 04 MFR Entrevista Sobracil

Na semana passada, Marcos Flávio Rocha foi entrevistado pelo jornalista Ronaldo Ruiz, que está produzindo um documentário sobre a Sociedade Brasileira de Cirurgia Minimamente Invasiva e Robótica (Sobracil).

Ruiz está registrando depoimentos de ex-presidentes da entidade. Sobre sua gestão, Marcos destacou a ênfase dada à educação continuada. Foram realizadas jornadas científicas, reuniões mensais, dentre outros encontros.

Além de presidir a Sobracil, Marcos participou de cinco gestões da sociedade, em diversos cargos. Por isso, pode colaborar fornecendo ao jornalista uma visão ampla da trajetória da entidade.

Ao final, gravou um depoimento chamando todos os colegas para participarem do congresso nacional que a Sobracil realizará no ano que vem, em Fortaleza. Marcos faz parte do comitê científico responsável pela programação da urologia.

Câncer urológico: Novas formas de identificar tumores por imagem

2019 04 Exame PET_CT

A efetividade dos tratamentos dos cânceres urológicos depende do diagnóstico precoce dos tumores. Por isso, é animador acompanhar a evolução dos exames por imagem para detecção de câncer urológico.

Dois se sobressaem: ressonância magnética específica da próstata e PET/CT (imagem). Eles são capazes de identificar pequenas metástases no organismo. Alguns pacientes, após realizarem cirurgia ou sessões de radioterapia, podem apresentar elevação de PSA (proteína que a próstata produz normalmente).

Essa alteração pode estar relacionada a tumores menores, que não eram identificados por exames anteriores. Ademais, como esses exames são mais precisos, a necessidade de realizar biópsias tende a diminuir.

Imagem via bit.ly/2TIwz6m

Urologia é a especialidade médica que mais utiliza a cirurgia robótica

O UOL elaborou uma matéria que traça um panorama da adoção da cirurgia robótica no país. Especialistas foram ouvidos pela reportagem, como Flavio Trigo, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia – Seção São Paulo (SBU-SP).

Os 45 robôs Da Vinci instalados no Brasil devem realizar, nesse ano, 8,5 mil cirurgias. Dessas, 5 mil são urológicas (90% são procedimentos na próstata).

O texto também enfoca como testes genéticos podem colaborar no diagnóstico de doenças urológicas. Através de rastreamento, seria possível identificar mutação genética que demonstra propensão a desenvolver certas doenças, característica reforçada quando se observa o histórico familiar do paciente.

 

Entenda o que é Andropausa, o Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino (DAEM)

Popularmente conhecido como andropausa, o Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino (DAEM) ocorre quando há diminuição de hormônios sexuais masculinos (a testosterona é o mais conhecido). Esse quadro tende a gerar consequências depois dos 50 anos, quando entre 15%-20% dos homens passam a relatar alterações hormonais. Os dados são da Sociedade Brasileira de Urologia, em matéria do jornal O Globo.

O DAEM vai além da perda de interesse sexual. O paciente pode apresentar apatia generalizada, com falta de vigor para realizar atividades físicas ou mesmo depressão. Anemia e osteoporose também podem surgir.

A reposição hormonal, quando constatada deficiência hormonal, é um dos tratamentos mais comuns. Entretanto, como os sintomas vão surgindo de forma lenta (o ritmo de produção da testosterona começa a diminuir a partir dos 35 anos), a prevenção através de consultas médicas é o melhor caminho para identificar o DAEM.

Câncer de próstata: a importância da prevenção

Conscientizar o público masculino da importância da prevenção é uma luta constante da comunidade médica. Quando detectado na fase inicial (geralmente no primeiro ano), a taxa de sucesso do tratamento do câncer de próstata chega a 90% dos casos.

A doença não apresenta sintomas, por isso a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) recomenda que homens com 50 anos ou mais devem fazer visitas anuais ao urologista. Pessoas com histórico familiar da doença (pai, irmão ou tio) e afrodescendentes precisam começar antes, aos 45 anos.

Entretanto, quatro em cada dez homens não fazem exames preventivos.
As informações são da pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), cujos dados foram publicados no Diário do Nordeste (link: https://buff.ly/2rimyQ5).